Conteúdo



Pacto do Rio e Sitawi lançam fundo social para financiar projetos de desenvolvimento de favelas do Rio

julho 21, 2016
NOTICIA_SITAWI.jpg

O Cariocas em Ação, empresa gestora do Pacto do Rio, firmou uma parceria com a SITAWI Finanças do Bem, para lançar um fundo social com o objetivo de financiar uma carteira integrada de projetos para aumentar a sustentabilidade do Rio de Janeiro. A iniciativa, batizada de Fundo do “Pacto do Rio – por uma metrópole sustentável”, foi lançada durante o I Fórum de Sustentabilidade do Rio, dia 13/7. Segundo Eduarda La Rocque, fundadora do Pacto do Rio e presidente do Cariocas, durante os próximos três meses serão captados recursos para o fundo, que serão geridos por um time gestor do Cariocas e um Comitê de fiscalização dos parceiros e financiadores do Fundo.

“O novo fundo será constituído a partir de doações de pessoas físicas e privadas para investir em projetos que ajudem a consolidar a paz nos territórios pacificados, através da inclusão social e produtiva daquelas comunidades, preferencialmente através do estímulo ao empreendedorismo local”, diz ela.

Leonardo Letelier, fundador da Sitawi, explicou que a instituição já criou mais de dez fundos filantrópicos que contam com recursos de apoiadores da causa.

A expectativa de Eduarda, entretanto, é que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) regularize, em breve, os Fundos de Investimentos Socioambiental (FISA) do país, instrumento financeiro que não busca apenas obter resultados financeiros, mas passa a medir o ganho de acordo com o impacto social e ambiental, promovendo ao mesmo tempo a inclusão social e a preservação dos recursos naturais.

Além de implementar projetos estruturantes nas comunidades – sendo o primeiro piloto já tendo sido iniciado na comunidade de Manguinhos – o Fundo do Pacto deixará no prazo de até 2 anos, uma proposta de institucionalização do Pacto através da implantação de um Centro de Resilência Metropolitana, que está em processo de negociação com a Rockefeller Foundation, junto ao Programa Rio Resiliente, da Prefeitura. A estrutura que nos parece mais adequada para financiar de forma perene o Centro seria um Endowment Fund, modelo muito utilizado no exterior, principalmente para financiar as universidades americanas.